As produtoras independentes, o mercado e os canais

Júlio Worcman do canal Curta! falou sobre o mercado de produção audiovisual e sobre o modelo adotado pelo canal

Júlio Worcman do canal Curta! falou sobre o mercado de produção audiovisual e sobre o modelo adotado pelo canal

O painel trouxe produtores independentes de audiovisual, e representante do canal “Curta!” para falar sobre os métodos de captação de recursos e dos modelos de mercado para a manutenção das produções.

A palestra “Produção Visão do mercado pela ABPITV”, moderada por Mauro Garcia, diretor executivo da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão, parceria da SET com a Associação, foi realizada na sala 15 da 26ª edição do Congresso SET, pela Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET).

Marcio Yatsuda Movioca (Conselho Federal ABPITV), falou sobre os modelos de negócio possíveis para produtoras independentes. Apresentou os métodos de comercialização das produções audiovisuais para o exterior. “Por exemplo, o imposto de renda é recolhido no momento do envio da produção, salvo em casos que o país tenha um acordo diferente” explicou.

Mavioca ainda discorreu sobre o que determinam as leis para negociação das produções e explicou os caminhos a serem percorridos para bons investimentos. “Esse imposto a ser recolhido pode ser depositado (70%) em uma conta vinculada e depois isso vai ajudar nos investimentos de novos projetos” apontou uma saída  ao contar que recentemente esteve em um canal de produção que enviou milhões nos últimos anos em produção para fora do país, e nunca havia adotado esse modelo. “Não há como reverter depois de adotada essa medida, por isso é preciso estar preparado para que seu imposto de renda vire investimento, no futuro” exemplificou.

Outro modelo de negócio que as produtoras independentes podem adotar é trabalhar com patrocinadores. Mavioca apresentou os caminhos para que os produtores possam captar esses recursos através de programas, como por exemplo da lei Ruanet, e fazer com que o patrocinador invista e o retorno dele também virá do imposto de renda, além da publicidade e incentivo à produção. Outra possibilidade que Mavioca mostrou é o uso do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), através da Ancine (Agência Nacional do Cinema).

Ele finalizou sua participação com uma apresentação do modelo de negócio adotado pela sua produtora, a MAVIOCA afirmando que é a produção de conteúdo intelectual, e exploração desses produtos por tempo indeterminado e uma geração de lucros constantes e perpetuadora.

Kiko Mistrorigo (TV Pinguim / Conselho Federal ABPITV) fez sua participação no painel e contou como foi o surgimento da franquia que atualmente é exportada para 82 países e traduzido para 12 idiomas, a série de animação “Peixonauta”  .

Além da produção seriada que começou no canal de TV por Assinatura, Discovery Kids, “Peixonautas” virou franquia, saiu da televisão para aplicativos para telefone, para jogos na internet, um filme que será lançado em 2015 e diversos produtos voltado para o seu público-alvo principal, as crianças. “A exploração do produto envolve inúmeros modelos de negócios e conhecer, sentir como está o mercado é essencial, e isso deixa a gente bastante ansioso, às vezes” relatou Mistrorigo.

Do outro lado do debate, representando os canais de veiculação das produções audiovisuais, Julio Worcman (Canal Curta!) defendeu que o canal é um dos tripés na transformação da televisão em uma programação hegemônica com produção nacional durante 12 horas por dia. O nome, que não é referência às produções de cinema com menor duração (curta-metragens), na verdade é uma referência ao verbo curtir, na sua forma imperativa, “Curta!”. Worcman falou sobre o modelo de negócio adotado pelo canal, sobre a captação de verbas, e como foi o trabalho para fechar com as operadoras de televisão. Um portfólio de produções do canal também foi mostrado durante a palestra.

O Congresso da SET conta com 44 sessões e 220 palestrantes distribuídos em 4 auditórios simultâneos, em um fórum que congrega um grupo seleto de mais de 1.600 profissionais que discutem as questões mais relevantes do setor intensamente durante um período de 4 dias.

O evento reúne de 24 a 27 de agosto de 2014 no Pavilhão Azul do Centro de Convenções e Exposições Expo Center Norte em São Paulo, especialistas do Brasil, Estados Unidos, Japão, Europa e América Latina, que discutem os principais aspectos da produção, transmissão e distribuição em TV, além de temas relacionados a vídeo, cinema, rádio e internet. Entre os temas destacados está o switch-off da TV, as interações entre TV e Internet, os desenvolvimentos tecnológicos da Copa do Mundo e muitíssimos outros temas de atualidade da indústria.

* Por Antonio Araujo, mestrando UFSCar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s