Infra-estrutura de vídeo: Evolução e tendências

Fredy Litowsky da Harmonic Brasil

Fredy Litowsky da Harmonic Brasil

A virtualização e a compressão de vídeo podem ser uma uma opção para o futuro das emissoras de TV que hoje dependentes tanto do hardware

Fredy Litowsky (Harmonic) apresentou as mudanças da engenharia de TV “falando de infra-estrutura de televisão e como ela esta mudando. Hoje as maquinas se comunicam mediante o protocolo SDI. O que esta mudando é esse protocolo”.

A proposta da Harmonic é que as emissoras de TV caminhem para uma infra-estrutura virtualizada de vídeo que trabalha com quatro camadas físicas, que são importantíssimas para dar suporte a gestão dos recursos da camada física que se avança para as virtual machines onde as aplicações são desenvolvidas no ambiente virtual.

“Em TV somos bem mais conservadores com respeito a virtualização, mas nas áreas de TI neste momento hoje temos mais de 70% do trabalho virtualizado, por isso acreditamos que o futuro das empresas de broadcasting passem por esta transformação para serviços na nuvem, seja ela privada ou pública”, afirma Litowsky.

Para o executivo o futuro para por uma “integração funcional que inclua no sistema virtualização, compressão que se juntam para rodar os aplicativos necessários para que uma emissora de TV possa funcionar. Tudo isso funcionando dentro de uma infra-estrutura virtualizada de vídeo que integre todos os equipamentos da emissora”.

A estrutura estará “alinhada e integrada”, a partir, de “um grupo de funções designadas para trabalhar mediante a “functional integration”. Assim, no mundo virtualizado, o ambiente de compressão é mais simples trabalhar em ambiente de TI que em chipset de trabalho porque esses chipset dedicados perderão em relação ao desenvolvimento de software, que é feito de maneira transparente e que pode ser integrado.

Desta forma, a virtualização passa, entre outras coisas, por “blade services” que permitem uma alta capacidade de processamento de vídeo, “mas teremos de esperar um pouco para isso, porque as transmissões não são imediatas, no primeiro momento haverá equipamento que possa conviver com equipamentos conectados por SDI e por IP”.

Resumindo, com esta virtualização, o trabalho dos fabricantes, disse o diretor regional da Harmonic Brasil, será trabalhar em software que gerem soluções e plataformas para ser utilizadas pelas emissoras, e os equipamentos das “emissoras deixaram se ser estruturas discretas e proprietárias para ser estruturas integradas e virtualizadas”.

“O hardware é uma questão de indústria, não é de fabricante. A indústria está tendendo para o TI, no futuro não haverá diferenciação entre pessoal de TV e pessoal de TI, porque o TI, quando o ambiente virtualizado esteja mais desenvolvido se irá integrando”, afirmou

 

Assista ao vivo

Para ter acesso ao vídeo clique em um dos links abaixo a partir das 8:30AM (horário de Brasília) dos dias 05 e 06 de novembro de 2014.

Para acessar a transmissão através de seu pc

Para acessar a transmissão através de seu Iphone / IPAD

O Congresso conta com a parceria Institucional da Fundação Rede Amazônica, e é uma realização: SET – http://www.set.org.br

A Revista da SET realizará a cobertura ao vivo do evento em : www.revistadaset.com

Data: 5 e 6 de novembro de 2014

Horário: 9 a 18H.

Local: Studio 5 Centro de Convenções. Av. Rodrigo Otávio, 3.555 – Distrito Industrial – Manaus – AM

 

Por Fernando Moura, em Manaus

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s