A transformação causada pelo IP nas operações de TV

brittoAs apresentações da manhã continuaram com o palestrante Sidnei Brito (Harmonic) que analisou as transformações que foram provocadas com o advento do IP nas infraestrutura de TV.

Ele disse que o tráfego IP no ambiente de vídeo remonta à década passada, mas com a nova série de especificações do SMPTE para tráfego de vídeo em banda base sobre IP, uma onda de grandes transformações se inicia para o broadcaster, com novas possibilidades de produtos e serviços em rede, virtualizado ou em nuvem.

Britto fez um paralelo entre a tecnologia de transporte de vídeo e produtos – que são a resposta dos fabricantes – explicando a migração da Banda Base SDI para IP. Nesse sentido ele disse que “essa mudança já começou, e tem impactado muito as emissoras e as suas áreas de engenharia. Os que não se prepararem para essa mudança, terão grandes problemas no futuro”.

O executivo disse que a migração passa por um balanceamento SDI para IP e com ele “uma combinação de interfaces SDI e IP na mesma Plataforma, e a combinação de sistemas mistos: SDI e IP como caminho de migração”.

Ele disse ainda que é “preciso ver qual é o momento para essa transição e até que ponto a tecnologia está pronta para apostar nela. No ambiente IP as preocupações mudam, passamos a ter preocupações em termos de pacotes e já não de trafego de vídeo linear”. Por isso, o radiodifusor precisa pensar em Software Defined Video Network (SDVN ), mas também neste quesito saber “quando devo migrar e como. A decisão não é se migrar ou não, é saber definir quanto vou migrar para o IP, se vou ou não migrar e se finalmente qual será o patamar de migração de SDI para IP”.

Assim, outros dos pontos passa por definir se se faz ou não realizar a operação em Cloud, assumindo que Cloud Computing  permite utilizar em qualquer lugar e independentemente de plataforma, as mais variadas aplicações por meio da Internet com a mesma facilidade de tê-las instaladas em computadores locais.

Para finalizar a palestra, Britto definiu o conceito de Virtualização como uma “forma de maximização de recursos em uma única plataforma” simplificando a operação da emissora , e avançar para “Datacenters com COTS Blade Servers” que podem virtualizar mediante software diferentes aplicações.

SET CENTRO-OESTE 2015, Seminário de Tecnologia de Broadcast e Novas Mídias Gerenciamento, Produção, Transmissão e Distribuição de Conteúdo Eletrônico Multimídia, terá importantes palestras, com destaque para o desligamento da TV Analógica, migração das AMs para a faixa FM, 4K, infraestruturas IP e interiorização da TV Digital, serviços satelitais, normas e regulações, entre outros. O encontro se realiza nos dias 6 e 7 de Outubro de 2015 em Brasília, Distrito Federal.

O seminário acontece das 9h às 17h no Centro de Convenções Brasil 21 – SHS Quadra 6, Bloco D – Asa Sul 70316-000  Brasília – DF – Brasil, e é realizado pela SET (Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão) com parceria institucional da ABERT e da EBC.

Confira a programação completa em:
http://www.set.org.br/eventos_regionais_centrooeste.asp?ano=2015

Por Fernando Moura, em Brasília

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s