SET Centro-Oeste: Software deve prevalecer ao hardware no mercado broadcast em IP

Em um ambiente broadcast cada vez mais integrado, automatizado e voltado às soluções IP, à cloud e ao consumo de vídeos On Demand em múltiplas telas, especialistas e players apontam as tendências da indústria audiovisual em tarde de palestras do primeiro dia do SET Centro-Oeste 2016

IMG_5440.JPG

Sidnei Brito, diretor comercial da SDB Multimidia (revendedora da Harmonic no Brasil), na palestra “iMCR: a evolução da sala de controle mestre”, afirmou, na tarde desta terça-feira (22), em Brasília, que a próxima evolução do controle mestre nas emissoras é partir para uma solução totalmente automatizada, em plataformas de software, e não mais de hardware.

“O que me faz ter certeza de que isso vai acontecer é o uso cada vez mais difundido das tecnologias IP, que estão cada dia mais padronizadas com resoluções como a SMPTE 2022-6 e a 2110. Algumas emissoras já se preparam, efetivamente, para uma infraestrutura de vídeo over IP. A tendência com a norma IS-04, que está sendo escrita, é produzir equipamentos híbridos que já possam migrar do SDI ao IP. O IP vai acontecer! O reflexo disso para o controle mestre é, também, projetar um caminho de transição ao IP, com soluções de máster que trabalhem com softwares, reduzindo o CAPEX, aumentando a produtividade operacional e reduzindo o OPEX. Além disso, é possível reduzir problemas de suporte, com opção de monitoramento e ajustes remotos”, frisou o palestrante.

IMG_5445.JPG

Solução Channel in a Box da Harmonic integra servidor, gravador e exibidor, além de lista e o próprio controle mestre automatizados

Brito apresentou, então, a solução Channel-In-a-Box da Harmonic, que, em sua avaliação, é o principal componente de um iMCR. A solução integra servidor, gravador e exibidor, além de lista e o próprio controle mestre automatizados. Nós também temos uma solução de channel-in-a-box remoto, um equipamento que trabalha com central-cast e possibilita inserir conteúdos regionais remotamente.

A Harmonic, porém, explicou o diretor da SDB Multimidia, entende que a linha de produtos em hardware ainda é importante, por conta da desigualdade técnica que existe entre as emissoras. “Temos desde soluções dispositivos em hardware, como o Electra e o Spectrum, até soluções completamente virtualizadas”, concluiu.

IMG_5499.JPG

Quem também indica uma forte tendência ao predomínio de soluções de software no mercado broadcast é a AVID. Fredy Litowsky (Avid Brasil), na palestra “Tecnologias e novas plataformas para produção de áudio e vídeo”, lembrou que a companhia trabalha para desenvolver uma plataforma unificada e está certificando parceiros que queiram gerar API em comum com a plataforma da empresa.

“A Avid sempre foi conhecida como uma empresa muito proprietária, muito dedicada, mas, percebendo as tendências de mercado, resolvemos mudar e criar uma plataforma única, que permita serviços como produção de áudio e vídeo, soluções de market place (lojas virtuais de aplicativos), etc. Uma plataforma que terceiros podem utilizar para disponibilizar serviços.O nosso objetivo é ter uma única infraestrutura que permita serviços e licenças necessárias a uma produção, não interessando onde você esteja”, explicou.

O palestrante contou, ainda, que é uma arquitetura com vários serviços conectados a um mesmo barramento. “A ideia é ter um workflow habilitador de eventos que nada mais é do que um barramento comum a todos. Somente uma estrutura muita aberta pode permitir isso, uma solução que consiga integrar soluções de terceiros a sua plataforma. Assim, conseguimos atender as necessidades dos clientes conforme as suas demandas.”

Monetização com publicidade na TV

Na palestra “Localização de conteúdos last-mile e monetização para redes ISDB-TB”, Ricardo Araújo (YouCast) apresentou as soluções de monetização com publicidade na televisão oferecidas pela Enensys e afirmou que, mesmo em um ambiente de TV cada vez mais anytime e anywhere, em que os receptores usam diferentes plataformas para serviço de TV (terrestre, satélite, cabo, OTT), ainda assim, há um crescimento da monetização e dos gastos em publicidade com mídia, segundo dados da PWC. “Outro detalhe importante é que a propaganda digital, a mídia que mais cresce hoje, não tem tomado espaço de market share da televisão.”

IMG_5424.JPG

Televisão ainda lidera market share publicitário, segundo representante da YouCast

A TV, pelo contrário, continua sendo o meio eficaz para envolver a audiência, na opinião do representante da integradora brasileira. “A pessoa que assiste a TV aberta é mais fiel à propaganda do que as outras pessoas. Não há como ‘pular’ os anúncios. Por isso, a agente afirma que a TV ainda é lugar para a propaganda.”

O fundamental, de acordo com ele, são os investimentos em conteúdos localizados, com produtos relevantes a determinado público. “Uma TV segmentada, com propagandas personalizadas associadas a conteúdos regionais, notícias locais, previsão do tempo local e propagandas políticas locais é o caminho para envolver a audiência e monetizar com publicidade na televisão.”

IMG_5434.JPGPensando nisso tudo, explicou o palestrante, a Enensys desenvolveu uma solução para transmissão de conteúdos ISDB-T, em compatibilidade com o DVB-S/S2, que busca um transporte stream via interface satelital, mas, oferece toda a sinalização BTS e a base de tempo inseridas em um PID, o que otimiza o uso de banda de satélite e gera múltiplos usos a um link satelital entre as diferentes normativas.

“Essa solução pode oferecer regionalização da distribuição de conteúdos, em que cada área pode receber apenas o que é direcionado a ela. A partir de um headend único, com o nosso DTS Gateway, é possível realizar também FTA DTT e Pay TV OTT. A nossa ideia é gerar conteúdos relevantes por meio de inserção local, com possibilidade de oferecer conteúdo de TV segmentada e agnóstica a qualquer dispositivo”, explicou Araújo.

Produções Full HD e 4K

IMG_5493.JPGFábio Angelini, engenheiro de vendas da Black Magic Design, apresentou a linha de switchers de vídeo ATEM, específica para produção de vídeo Full HD. É uma linha de produtos que, em parceria com a Livestream, apresenta soluções para realizar streaming ao vivo em alta definição. “Todos os modelos da linha ATEM trabalham com o software de controle do ATEM. Se você precisa evoluir para uma produção em 4K, isso é positivo porque é o software é o mesmo.”

A companhia também apresentou o gravador HyperDeck Studio, que trabalha com dois slots SSD para gravações non-stop. Essa gravação dual possibilita descarregar o material enquanto no mesmo momento em que está sendo gravado, tudo em 4K. Angelini exibiu, ainda, o carregador de bateria e gravador SSD portátil Hyper Deck Studio 4K. “Hoje, o que importa é a praticidade e a qualidade dos materiais. Se fala muito sobre o vídeo por IP. Mas, o sinal SDI ainda é o mais seguro e utilizado. Por isso a Black Magic oferece também uma vasta gama de miniconversores SDI para HDMI e 4K, além de microconversores de HDMI para SDI e vice-versa, que sai muito barata, por cerca de $85,00 dólares. Temos, também, agora, uma linha de câmeras que está se saindo bem no mercado ao vivo e também de cinema.”

IMG_5496.JPGA Black Magic URSA foi outra câmera apresentada pelo representante da companhia em Brasília, uma câmera capaz de captar imagens em até 4.6K e com até dois operadores trabalhando simultaneamente em duas telas. “A URSA Mini, mais leve e com um sensor de 35mm, é outra solução que oferecemos e vem sendo utilizada, por exemplo, na igreja de David Miranda, que hoje tem cinco URSAS Mini dessas para filmar os seus cultos. Também é uma câmera para cinema, que já grava em 4.6K.”, contou.

Para a radiodifusão, a Black Magic oferece a linha Studio Camera 4K e a Micro Studio Camera 4K, uma solução menor do que uma DSLR que pode ter usos dos mais variados. A Rede Globo vai utilizar essa câmera no Big Brother 2017 por conta do custo benefício oferecido pela solução, segundo Angelini. “Serão 17 câmeras dessa linha Micro espalhadas na casa mais vigiada do Brasil.”

SET Centro-Oeste 2016

O encontro se realiza nos dias 22 e 23 de novembro de 2016, das 9h às 18h, no Hotel Brasília Imperial (SHS Quadra 3, Bloco H, Brasília-DF).

Programação completa

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site da SET.

Galeria Revista da SET

Este slideshow necessita de JavaScript.

Confira, na galeria acima, fotos do primeiro dia do evento (terça-feira, 22/11).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s