Interferência do 4G na TV e vice-versa

J. R. Cristovam explicou as consequências do leilão da faixa de 700 MHz

J. R. Cristovam explicou as consequências do leilão da faixa de 700 MHz

SET Nordeste debate o 4G/ LTE interferindo no serviço de TV Digital, de forma direta e/ou por combinações de frequências

A palestra “Switch-off da TV analógica e possíveis impactos da licitação de 700 MHz no crescimento do 4G no Brasil”, ditada por José Raimundo Cristóvam (Unisat/SET) no SET Nordeste levantou questionamentos ao leilão que a Anatel deve realizar no dia 30 de setembro levando quatro faixas de frequências de 700 MHz com bandas de 10+10 MHz em todo o Brasil.

Numa palestra agitada e com participação da plateia, Cristovam explicou as datas do switch-off e o cronograma de desligamento da TV analógica no país e se perguntou “quanto tempo ainda resta de vida para a TV analógica?”, e ainda explicou a evolução da tecnologia para chegar ao atual LTE/4G.

Para Cristovam o leilão acontece por uma necessidade das telcos de espaço para expandir os seus serviços, e quando elas adquirirem um dos três lotes com cobertura nacional terão de desembolsar no mínimo R$ 2,8 bilhões, sendo R$ 904 milhões com a “limpeza da faixa”, ou seja a eliminação da interferência de sinais. No entanto, em 93% dos 5570 municípios brasileiros, estas frequências só estarão disponíveis para ser utilizadas pelas operadoras no final de 2019.

A SET depois do estudo realizado em conjunto com a Universidade Mackenzie prevê que exista interferência entre os sinais pelo que o 4G/ LTE interferirá no serviço de TV Digital (de forma direta e/ou por combinações de frequências) e que as empresas de telecomunicações terão de arcar com os possíveis problemas de interferência com o sinal de TV Digital.

Outro dos temas abordados foi a interferência, sobre o fenómeno, Cristovam disse que haverá “emissões das antenas das operadoras de serviços móveis interferindo na recepção dos Gap-Fillers, expressão que designa a estação reforçadora destinada a suprir as áreas de sombra da TV digital aberta, ou seja, nas quais não há cobertura”.

De fato, para as TVs, poderão ocorrer falhas intermitentes ou aleatórias na recepção, “artefatos” nas imagens e até perda total da imagem nos momentos de interferência. Já no caso da Banda Larga Móvel 4G LTE, os usuários poderão “sofrer” com a piora sensível nas quedas de chamadas; aumento da lentidão das velocidades de “download” e “upload“, se comparadas com as “prometidas” nas diversas campanhas de vendas da Banda Larga Móvel 4G LTE e com as comprometidas (em contrato e no PGMQ da ANATEL); e aumento de preços dos Serviços de Banda Larga Móvel 4G LTE.

O SET Regional NORDESTE, Seminário de Tecnologia de Televisão e Multimídias, Gerenciamento, Produção, Transmissão, Distribuição de Conteúdo Eletrônico Multimídia, Interatividade, Mobilidade, Interferência, Broadcast e Broadband se realizou em Recife, Pernambuco de 24 a 25 de setembro de 2014.

O evento espera receber mais de 200 profissionais do setor na capital pernambucana no Auditório da TV Jornal do Commercio. Conta com a parceria institucional da TV Jornal do Commercio e é uma realização da SET – www.set.org.br

Por Fernando Moura, em Recife (PE)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s