Validação de conteúdo em um ambiente de fluxos digitais

blumm_set nordeste

Ferramentas de análise de sinais em banda base, soluções de controle de qualidade de arquivos de mídia e correção de Loudness e a monitoração de infraestrutura de transporte de vídeo comprimido para contribuição e distribuição de sinais discutidas no SET Nordeste

Marcelo Blum (VIDEODATA/TEKTRONIX) explicou aos presentes como distribuir e optimizar ferramentas de medida em plantas digitais, como realizar o controle de qualidade de conteúdos, da captação e ingest de conteúdos em banda base, passando pelos workflows sem fita, até a chegada ao expectador, já que “é fundamental garantir a preservação da qualidade em cada etapa do processo”.

O executivo disso que para isso “é necessário o uso de ferramentas e métricas adequadas, que permitam a identificação e imediata solução de problemas”. Para ele, é necessário viabilizar projetos de migração para tapeless e arquivamento porque o “conteúdo precisa estar disponível onde o consumidor está, seja broadcast, internet, celular mediante a criação de novos modelos de negócio de distribuição de conteúdos com custo justo e facilidade de acesso e onde possa ser reaproveitado e remonetizado o acervo”.

De fato, segundo Blumm, as emissoras precisam ter “uma validação de conteúdos em Banda Base que possa garantir a qualidade da codificação do conteúdo, passando pela transmissão e chegando até o expectador final”. Para conseguir isso, ele falou de “QoS, qualidade de serviço; QoE, qualidade de experiência; e parâmetros de compressão”.

Para o executivo da Videodata os desafios atuais da indústria passam pela redução do volume de Ingest com fitas; o aumento de volume de Ingest via rede com promos, comerciais, programas, gráficos; e o aumento da variedade de codecs e canais de distribuição.

“Hoje precisamos garantir a qualidade de um volume crescente de conteúdos para um número cada vez maior de canais de distribuição com exibição broadcast; video-on-Demand; internet e mobile” e para isso precisamos migrar “da forma manual para a forma automática nas emissoras de TV”, disse Blumm.

Outro dos temas abordados pelo executivo da Videodata foi o Cloud, afirmando que esta “é um modelo que permite acesso amplo, conveniente e sob demanda a recursos computacionais, de rede, de armazenamento e serviços através de um pool de recursos compartilhados, que podem ser provisionados e liberados de forma simples e rápida pelo próprio usuário”, e que esta tecnologia “permite maior disponibilidade dos recursos computacionais mediante processamento,memória, armazenamento com recursos de virtualização gerando um aumento das performances da Internet com velocidades cada vez maiores”.

O SET Regional NORDESTE, Seminário de Tecnologia de Televisão e Multimídias, Gerenciamento, Produção, Transmissão, Distribuição de Conteúdo Eletrônico Multimídia, Interatividade, Mobilidade, Interferência, Broadcast e Broadband realiza-se em Recife, Pernambuco de 24 a 25 de setembro de 2014.

O evento espera receber mais de 200 profissionais do setor na capital pernambucana no Auditório da TV Jornal do Commercio. Conta com a parceria institucional da TV Jornal do Commercio e é uma realização da SET – www.set.org.br

Por Fernando Moura, em Recife (PE)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s