Aplicações para PayTV via Satélite

vituli1Rubens Vituli (SES) mudou o rumo da tarde do primeiro dia da edição 2015 do SET Centro-Oeste. Ele disse que as aplicações para Pay TV se aplicam também, em muitos casos, para a TV aberta, já que aos poucos a penetração no Brasil avança e cresce.

O overview realizado por Vituli tentou explicar como as aplicações via satélite podem suportar os desafios de Media e Broadcast do mercado brasileiro. De fato, disse ele, o Pay TV ainda não esta mexendo com a carteira de clientes do DTH, mas aos poucos vai crescendo. “Tanto que a SES estima que até 2018 a NetFlix alcance os 7.5 milhões de assinantes”.

Um das novidades apresentadas foi o sistema SAT>IP, um serviço de IP via satélite que chega na casa dos usuários com a hipótese de distribuir o sinal para diferentes devices. “Estamos fomentando no Brasil o desenvolvimento dessa tecnologia para dar mais uma função à tecnologia satelital. De fato investimos neste serviço para fomentar o serviço de satélites”.

Outro dos temas trabalhados por Vituli foi o Near VOD, um sistema que permite que o conteúdo seja transmitido continuamente, em intervalos regulares. Este sistema tem como prós o custo de implementação, sem armazenamento; e como desvantagem o pouco conteúdo disponibilizado.

Outro sistema é o Push VOD, uma distribuição em multicast e armazenamento local. Permite TVOD, SVOD e AVOD, com uma importante biblioteca dando uma boa experiência para o usuário. Neste produto, o custo de memória é alto. A atualização precisa ser repetida para garantir que todos os set top boxes sejam atualizados.

Ainda mostrou o sistema de Contribution VOD, no qual o conteúdo não é distribuído para os usuários finais, mas para os Head Ends. Funciona como um off-load de vídeo para as redes terrestres. Este sistema tem uma grande biblioteca disponível. Permite diversas formas de acesso ao usuário final via última milha terrestre (cabo, fibra, internet).

A novidade apresentada no SET Regional Centro-Oeste é o Liquid VoD, uma solução da SES para SVOD por satélite que reduz o custo de set-top box (menor necessidade de memória que um Push VOD). Nele o vídeo é empacotado no satélite. O algorítimo garante que a biblioteca de conteúdo possa ser distribuída pelo satélite e acessada, em tempo real, por um número ilimitado de assinantes, sem custo adicional.

A aplicação Liquid VoD foi anunciada pela SES no último IBC realizado no mês de Setembro em Amsterdã, onde utilizou o satélite Astra 19.2, e já está disponível na Europa com o sistema End2End para demostrações. O executivo disse que a próxima etapa será o lançamento de uma nova versão para as exigências realizadas pelo mercado assumindo que o serviço estará disponível nos próximos 9 ou 12 meses.

O SET CENTRO-OESTE 2015, Seminário de Tecnologia de Broadcast e Novas Mídias Gerenciamento, Produção, Transmissão e Distribuição de Conteúdo Eletrônico Multimídia, terá importantes palestras, com destaque para o desligamento da TV Analógica, migração das AMs para a faixa FM, 4K, infraestruturas IP e interiorização da TV Digital, serviços satelitais, normas e regulações, entre outros. O encontro se realiza nos dias 6 e 7 de Outubro de 2015 em Brasília, Distrito Federal.

O seminário acontece das 9h às 17h no Centro de Convenções Brasil 21 – SHS Quadra 6, Bloco D – Asa Sul 70316-000  Brasília – DF – Brasil, e é realizado pela SET (Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão) com parceria institucional da ABERT e da EBC.

Confira a programação completa em:
http://www.set.org.br/eventos_regionais_centrooeste.asp?ano=2015

Por Fernando Moura, em Brasília

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s